FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Quarta-feira, 24 / 07 / 2019
TRANSPORTE
Mototaxistas têm 7 anos para trocar veículos

Data da notícia: 2019-05-07 18:34:14
Foto: Assessoria/Divulgação
Prefeito Marcito Pinto (centro) se reuniu com os vereadores que elaboraram a lei e também com representantes dos mototaxistas

O prefeito de Ji-Paraná, Marcito Pinto (PDT), sancionou a Lei Municipal nº 3232/2019, de autoria do Poder Legislativo, que amplia o prazo para renovação da frota das motocicletas que são utilizadas no serviço de transporte de passageiros, modalidade mototáxi, passando de cinco para sete anos.
A nova legislação beneficia os 196 profissionais que prestam o serviço na cidade. A categoria reclamava que o prazo era curto, pois as motocicletas, geralmente, são financiadas em cinco anos, e quando os profissionais acabavam de quitar o financiamento já havia a obrigatoriedade de substituição do veículo por um novo.
O presidente da Cooperativa de Mototaxistas de Ji-Paraná, Osvaldo Eduardo Pedrete, agradeceu o empenho dos vereadores e do prefeito Marcito Pinto, que entenderam a importância desta concessão de prazo maior para a categoria.
“Todos os trabalhadores lutaram muito para acrescentar para mais dois anos a vida útil das motos utilizadas no transporte da população. Sabemos que isso dará um fôlego para terminar de pagar o financiamento da moto e mais prazo para nos organizarmos para iniciar a compra de outra”, ressaltou Pedrete.
A elaboração e aprovação da lei levaram em consideração uma avaliação técnica, junto a Autarquia Municipal de Trânsito (AMT), obtendo garantias de que a alteração não irá afetar a segurança dos passageiros, pois a cada 6 meses, a AMT faz vistorias exigidas para manter a frota em bom estado de conservação.
Os vereadores Joaquim Teixeira (MDB) e Lorenil Gomes (PTB), autores da lei, explicaram que são as vistorias que irão definir se o veículo tem condições ou não de serem usados. E não o tempo de fabricação da moto.
“Existe, no município uma série de normas, e até um conselho administrativo e de fiscalização, que colabora nesse processo de vistoria, de forma que essa alteração não irá interferir nas questões de segurança”, afirmou Joaquim Teixeira.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
     




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.