FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Segunda-feira, 19 / 08 / 2019
JI-PARANÁ
População é orientada sobre doação de livros à Biblioteca Municipal

Data da notícia: 2019-07-31 18:46:39
Foto: Assessoria/Divulgação
Servidores realizam a higienização constante do acervo, com a preocupação de eliminar fungos que podem causar danos à saúde dos usuários

Mais de 30 mil títulos estão à disposição da comunidade na Biblioteca Municipal Dr. Cyro Escobar Ribeiro. O acervo literário é maior do município.
As obras, que atraem muitos leitores, são atualizadas pela Prefeitura de Ji-Paraná, por meio da Fundação Cultural de Ji-Paraná (FCJP) e também com doações de instituições, como o Tribunal Regional do Trabalho (TRT), provenientes de multas revertidas em livros e da comunidade. Mas muita gente ainda desconhece os critérios para que a Biblioteca Municipal receba as obras doadas.
Todos os meses, o local recebe da comunidade, em média, 10 caixas de materiais, mas apenas 1% é aproveitado. Muita gente tem usado a biblioteca como depósito de materiais que não usam mais. Em dezembro, as doações aumentam, em razão de as pessoas fazerem “faxina” para iniciar o novo ano.
Os livros passam por triagem e avaliação feitas por uma equipe da biblioteca. A preocupação são com os fungos, que podem provocar doenças do coração, lesões na pele e até a perda da visão.
Segundo a diretora da biblioteca, Severina Plácida, para evitar problemas de saúde nos funcionários e visitantes, é adotado um procedimento de seleção.
O que é incorporado ao acervo, recebe severa higienização. No dia a dia, os funcionários realizam a limpeza das prateleiras e das obras com produtos específicos, principalmente depois que chegam dos empréstimos. Além disso, o acervo é informatizado, o que facilita a organização nas prateleiras.
“Para que possamos receber as doações, os livros devem estar em bom estado de conservação, sem rasgos, anotações, páginas faltando ou capa solta. Não podem ter manchas, fungos. Não são aceitas fotocópias de livros e materiais encadernados”, explicou a diretora.
A biblioteca pode ou não aceitar a doação para evitar a contaminação do acervo. O que não servir é descartado ou devolvido para o doador, caso seja do interesse dele. As doações não devem ser enviadas pelos Correio ou deixadas nos corredores da biblioteca durante o fim de semana, sem aviso prévio.
“Por isso, antes de fazer a sua doação, observe se ela se encaixa nas nossas necessidades. É a melhor forma de garantir que os itens sejam bem aproveitados. Já tivemos doações até de caixas com livros muito sujos e cheios de fungos misturados com carteira de vacina, documentos, lixos e outros materiais” afirmou.
Quem frequenta a biblioteca agradece os cuidados em relação à seleção e higienização dos materiais. É o caso da frentista Greici Nascimento, 32 anos. Ela utiliza o espaço desde que tinha 10 anos de idade.
“As pessoas estão habituadas a ler resumos de livros ou textos na internet. Eu gosto é de pegar e sentir o cheiro dele. Mesmo com a tecnologia, eu amo estar aqui. Se para muitos biblioteca é museu, para mim é a minha raiz. Leitura é tudo. Fico feliz em ver este lugar bem cuidado”, garantiu Greici.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
     




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.