FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Segunda-feira, 16 / 12 / 2019
CAUTELA
Senador pede que Sínodo da Amazônia não seja reunião política

Data da notícia: 2019-10-16 12:02:27
Foto: Assessoria/Divulgação
Marcos Rogério pediu cautela nas decisões em torno da floresta amazônica

O senador Marcos Rogério (DEM) pediu, na segunda-feira (14), cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o parlamentar, os bispos e demais convidados devem destacar a realidade da região e de suas populações sem apego político e ideológico.
Em pronunciamento no plenário do Senado, Marcos Rogério disse que os congressistas devem deixar o “romantismo em torno da floresta” de lado e pensar nas necessidades das populações que precisam sobreviver da região e também em formas de desenvolvimento do local.

O parlamentar criticou o posicionamento de figuras políticas que antes criticavam a polarização e hoje defendem o avanço do socialismo. Na América Latina, especialmente, o Foro de São Paulo - fundado em 1990 pelo ditador Fidel Castro e o ex-presidente Lula – buscou eleger o maior número possível de presidentes socialistas. Os reflexos, segundo senador rondoniense, são vistos ainda hoje.
“Ao menos 15 países da América Latina e da África foram agraciados com as benesses brasileiras. Tivemos parcerias com regimes ditatoriais, como é o caso de Cuba e do Irã, além da remessa de recursos vultosos do nosso BNDES para outras repúblicas de governos socialistas espalhados por outros continentes”, explicou.

Na avaliação do senador, o Brasil iniciou a ruptura com esse modelo a partir da eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL). E destacou que a resistência às políticas adotadas pelo presidente se dá por influência de setores políticos, e, especialmente, da mídia e das elites que estão contaminados com pensamento socialista, inclusive na ONU.

Sínodo da Amazônia, realizado entre 6 e 27 de outubro de 2019, é liderada pelo papa Francisco e reúne 250 participantes, entre bispos, cientistas, líderes políticos, representantes de ONGs e povos indígenas, para discutir a situação da floresta amazônica e questões ligadas ao meio ambiente, aos povos indígenas e à região.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
     




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.