FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Sexta-feira, 15 / 11 / 2019
NOVA FASE
Operação Descarrilho prende acusados de ataques terroristas

Data da notícia: 2019-10-30 19:02:18
Foto: Divulgação
A Polícia Civil cumpriu 18 mandados de prisão e 18 mandados de busca e apreensão

A Polícia Civil de Rondônia, por meio da 2ª Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (2ª Draco), 1ª Delegacia de Pimenta Bueno e Coordenadoria de Recursos Especiais (Core/PCRO) deflagrou, ontem, quarta-feira (30), a Operação “Descarrilho”, cumpriu 18 mandados de prisão e 18 mandados de busca e apreensão no município de Pimenta Bueno.

A ação tem como objetivo a coleta de provas para a conclusão de inquéritos que tramitam em sigilo, que investigam crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, homicídio, lavagem de dinheiro, furtos e roubos praticados por integrantes de uma facção criminosa que atua no estado.

As investigações, iniciadas em 2018, possuem elementos suficientes para indiciar dezoito pessoas. Apesar de os investigados já se encontrarem presos, mesmo dentro da unidade prisional, conseguiam articular crimes e comandar ações terroristas, de forma sincronizada, como a uma onda de ataques ocorridos em várias localidades, incluindo incêndios e tentativas de explosão a veículos e prédios públicos, agindo nas cidades de Porto Velho, Ariquemes, Ji-Paraná, Vilhena e Pimenta Bueno.

A primeira etapa foi nominada operação “Ordo Partium”, deflagrada na quinta-feira (24), pela Draco, nas cidades de Porto Velho, Vilhena e Ariquemes, marcando o “fim da festa” para as facções que aterrorizavam a população rondoniense. Ao todo, a Polícia Civil cumpriu a mais de 70 mandados judiciais nos últimos sete dias, sendo ao menos 57 ordens de prisão preventiva ou temporária.

A operação “Descarrilho” contou com a participação de mais de 50 policiais civis das regiões de Alvorada do Oeste, São Miguel do Guaporé, Mirante da Serra, Ji-Paraná e Espigão do Oeste, além das unidades que a coordenam. A Sejus também prestou apoio à ação por meio de seu Grupo de Ações Penitenciárias (Gape), pois na oportunidade foi realizada revista completa na unidade prisional de Pimenta Bueno.

Audaciosos e autoconfiantes, os integrantes da facção criminosa referiam a si próprios como “O Trem” ou até mesmo “O Trem Bala”, pois acreditavam que poderiam passar por cima de tudo e de todos.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
     




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.