FALE CONOSCO     |     INTRANET     |      QUEM SOMOS
SIGA O CP       ANUNCIE AQUI

Sexta-feira, 06 / 12 / 2019
ENERGISA
CPI ouve relatos de pessoas de Guajará

Data da notícia: 2019-11-29 18:48:11
Foto: Assessoria/Divulgação
Moradores afirmam que precisam escolher entre pagar energia ou comprar comida

Durante audiência pública realizada pela CPI da Energisa, na a sexta-feira (29), na Câmara de Vereadores de Guajará-Mirim, foi denunciado que a concessionária de energia elétrica cobra por ponto de iluminação pública, e que existem cerca de 2 mil pontos que não possuem lâmpadas. Os deputados examinam se a cobrança irregular é suficiente para “cassar” a concessão da empresa em Rondônia.

O presidente da comissão, Alex Redano (Republicanos), disse inicialmente que foram detectados casos de aumentos de até mil por cento na conta de energia de diversos consumidores. Ele explicou que os dados foram levantados em audiências públicas realizadas em outros municípios.

O relator da CPI, Jair Montes (Avante), afirmou ser inadmissível que um estado com três hidrelétricas pagar a energia mais cara do Brasil. Ele afirmou que tem recebido em seu gabinete e nas audiências públicas contas de consumo mostrando que o valor subiu de R$ 200,00 para R$ 800,00.

Jair Montes foi interrompido por um consumidor irritado, que se identificou como Walmir Ferreira dos Santos. Ele disse que sua conta sempre oscilava em torno de R$ 30,00, e agora passou para R$ 180,00. O deputado demorou para acalmar os consumidores, mas lembrou, em seguida, que a Alero aprovou leis defendendo a população e que hoje a Energisa não pode mais cortar o fornecimento sem avisar com 15 dias de antecedência, nem retirar os medidores de consumo sem o aviso com três dias de antecedência.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
     




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.