Sexta-feira, 03 / 04 / 2020
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


ESTRATÉGIAS
Pontos de vacinação contra a gripe priorizam grupos de risco

Data da notícia: 2020-03-25 10:20:10
Foto: Assessoria/Divulgação
Municípios adotam medidas para que não haja aglomeração de idosos, durante campanha de vacinação

Os idosos e trabalhadores de saúde fazem parte do grupo prioritário da primeira fase da campanha nacional de imunização contra gripe (Influenza A-H1N1, Influenza A-H3N2 e Influenza B) que teve início, na segunda-feira (23). Em Rondônia, a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) repassou aos municípios, as doses com quantidade suficiente para vacinar todo este público-alvo.

São cerca de 120 mil doses distribuídas aos municípios, conforme a quantidade de pessoas inseridas no primeiro grupo que será imunizado. A imunização para esse primeiro grupo, segue até 15 de abril. ‘‘O estado recebeu doses da vacina suficientes para imunizar, 100% dos idosos e profissionais de saúde que fazem parte, desta primeira fase da campanha. Não há risco das doses acabarem. Então, aqueles que não estiverem aptos a ir nos primeiros dias, não tem problema, a sua dose de vacina estará assegurada’’, esclarece a gerente técnica de Vigilância Epidemiológica da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Arlete Baldez.

É muito importante que todos os que fazem parte do grupo de risco se imunizem. ‘‘Essa campanha foi antecipada por conta da pandemia e o grande objetivo é proteger a população contra a influenza [que tem sintomas parecidos com o do coronavírus]. Essa vacina não protege contra o coronavírus, mas melhora a avaliação do médico, pois quando uma pessoa chegar com o processo gripal, e comprovar que foi vacinada, então já diminui muito a possibilidade de se tratar de um vírus influenza’’, explica Arlete Baldez.

A campanha é realizada por fases. Na primeira, está a população de idosos e profissionais de saúde. Os primeiros por serem os mais vulneráveis, e os profissionais, por estarem na linha de frente na promoção da saúde pública. A segunda fase da campanha, que se inicia, em 16 de abril, será direcionada para professores de escolas públicas e privadas, os profissionais das forças de segurança e salvamento.

Enquanto que a terceira fase, que terá início, no dia 9 de maio, inclui crianças de seis meses a menores de seis anos, gestantes, puérperas, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos, sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade, servidores do sistema prisional,e os que têm de 55 a 59 anos. A campanha geral, encerra no dia 22 de maio.

VACINAÇÃO SEM AGLOMERAÇÕES

Tão importante quanto se proteger da influenza é que essa imunização aconteça sem aglomeração, devido à pandemia do coronavírus. A Agevisa orientou às secretarias municipais de saúde, responsáveis pela aplicação da vacina, que se possível, ampliem o horário de atendimento para evitar aglomerações, orientem o distanciamento nas filas, assim como demais ações que inibam a contaminação pelo coronavírus.

‘‘Tratamos de estratégias com os municípios para evitar aglomerações de idosos. Por isso, foi orientado a ampliação do atendimento com agendamento. Outra proposta é que tenha mais de um vacinador no local da vacina, para dar celeridade ao processo. E nós estamos a cada dia, verificando as melhores estratégias para que essa população seja vacinada, sem aglomeração’’, afirma Arlete Baldez.


Fonte: Secom


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.