Domingo, 05 / 04 / 2020
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


IMPACTO
Agerji proíbe corte no fornecimento de água por 60 dias

Data da notícia: 2020-03-25 10:24:44
Foto: Assessoria/Divulgação
Segundo Clederson Viana, as contas em atraso, não poderão ser motivo para o corte

A Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Ji-Paraná (Agerji) publicou uma resolução, proibindo que a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd ) interrompa, por 60 dias, o fornecimento de água aos consumidores de Ji-Paraná.
De acordo com a Resolução nº 001/Agerji/2020, a interrupção, apenas poderá ocorrer em casos, excepcionais, em que a Caerd estiver realizando reparos na rede de distribuição, com a autorização da Agerji para o serviço. O documento foi publicado no dia, 20 de março de 2020.

Segundo o presidente da agência, Clederson Viana, a medida faz parte do pacote implementado pelo prefeito de Ji-Paraná, Marcito Pinto (PDT), para minimizar os impactos da pandemia do coronavírus no município. As medidas passaram a vigorar no sábado (21) e têm duração de 15 dias, prorrogável por mais 15.

Clederson Viana explicou que as contas em atraso, não poderão ser motivo para que a companhia efetue o corte, em virtude da situação emergencial e atípica que passa os consumidores, durante o período de restrições. Ele considera o fornecimento de água essencial, para o combate e prevenção ao contágio do Covid-19.

A resolução também determina que a Caerd forneça máscaras e álcool gel para os funcionários que atuam na manutenção do serviço de tratamento de água. E realize campanha interna de orientação, sobre a importância de manter o isolamento social e os cuidados com a higiene pessoal e do ambiente de trabalho.

Especialista consultado pelo CP orienta que a decisão não deve ser motivo para que o consumidor deixe de pagar a conta de água. Segundo o economista, Dário Magalhães, o momento é pontual e a medida integra um pacote de ações, a fim de conter o avanço do Covid-19, mas vai passar.

Exceto empresas ou pessoas (profissionais autônomos) que tiveram atividades reduzidas ou paralisadas pelo decreto municipal, o restante da população deve honrar o pagamento, mesmo com algum sacrifício. Ele afirma que a resolução tem o poder de suspender o corte e não o débito.

Portanto, assegura Magalhães, no fim dos 60 dias, o consumidor poderá acumular duas ou três contas de água. A partir disso, será necessário negociar o débito com a Caerd. O economista assegura que a prerrogativa deve ser dada aos usuários que momentaneamente, estão passando por dificuldades.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.