] Jornal Correio Popular


Ji-Paraná(RO), 06/03/2021 - 04:23
JORNAL CORREIO POPULAR DE RONDôNIA - Fone: 69-3421-6853 - E-mail: redacao@correiopopular.com.br


AGEVISA
Uso de máscara pode reduzir a carga viral do coronavírus

Data da notícia: 2021-01-20 18:37:54
Foto: Assessoria/Divulgação
Especialista garante que as máscaras podem reduzir a carga viral do indivíduo

O Governo de Rondônia aumentou as restrições, no que tange o enfrentamento à Covid-19, até a próxima terça-feira (26), quanto ao Isolamento Social Restritivo, por meio do atual decreto nº 25.728, estipulado em 29 municípios de Rondônia, devido ao atual cenário da pandemia.

O comportamento da sociedade foi o principal reflexo do regresso de fases, como a falta do uso de máscaras, descuido com a higiene pessoal, além de aglomerações, fatores fundamentais e decisivos para que a medida fosse implantada, inclusive com estratégia de horário estabelecido para encerramento de atividades externas.

O coordenador do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), Kerry Alesson explica que a rede faz parte da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), que trabalha constantemente no monitoramento de notificações do coronavírus no estado, desenvolve atividades e ações, além de captar dados, e classificar o comportamento das pessoas durante a pandemia.

“No inicio da mesma, houve a resistência quanto a utilização delas, mas, com o tempo, a máscara acabou virando um acessório de moda, as pessoas colocando estampas de times e empresas nas máscaras, e isso foi e é bem legal, mas existem pessoas que além de não utilizarem as máscaras ainda fazem promoção para que outras pessoas não utilizem. Isso é extremamente perigoso e danoso”, explica Kerry.

O coordenador ainda afirma que as máscaras podem reduzir a carga viral do indivíduo, “Porque a máscara é efetiva sim, ela diminui significantemente a possibilidade de contágio e, as pessoas que estão com o vírus, diminui ainda mais a carga viral, portanto se a pessoa estiver com uma determinada carga viral e entrar em contato com outra pessoa com vírus ela pode aumentar a carga viral, mas com a máscara isso ameniza”, exemplifica.

MODELO IDEAL
De plástico, tecido de algodão, TNT (tecido não tecido), entre outros, as máscaras estão por toda a parte e fazem parte do cotidiano de muitos brasileiros e rondonienses.

O adorno é encontrado em diversos modelos, formatos e até tamanhos diferentes, mas o significado principal no qual a sociedade precisa se conscientizar, segundo Kerry, é quanto à eficácia do produto para o controle da pandemia “Hoje, nós temos várias opções no mercado, as máscaras cirúrgicas (TNT) são utilizadas por profissionais de saúde, podem ser também utilizadas pela população. Prioritariamente, o governo, de uma maneira geral, tem pedido que a população utilize a de algodão, a fim da redução de competição do produto no mercado”, diz o coordenador do Cievs.

As máscaras de plástico devem ser evitadas, pois elevam a temperatura no rosto, e automaticamente favorecem o indivíduo ao erro. “Com o maior aquecimento das máscaras de plástico, e retendo o calor, é automático levar a mão até a boca e puxar a máscara para respirar melhor, então isso é muito arriscado.

O único critério a se ter em mente quanto aos outros dois modelos, como máscara de tecido de algodão e TNT, é a utilização das mesmas, secas. Então, a recomendação é andar sempre com máscaras a mais, como segurança para não molhar e troca-lás a cada duas horas”, garante Kerry.


Fonte: Assessoria


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.