Jornal Correio Popular


ELEIÇÕES 2022
Soraya diz que isentará tributos de professores

Data da notícia: 2022-09-16 19:12:34
Foto: Assessoria/Divulgação
A candidata promete isentar professores e trabalhadores que ganham até cinco mínimos do imposto

A candidata à Presidência da República Soraya Thronicke disse, ontem (16), que, entre os tributos federais, só vai manter os que incidem sobre importação, exportação e o imposto de renda. Esse último, no entanto, não será cobrado de professores e de trabalhadores com ganhos de até cinco salários mínimos.

A promessa foi feita durante o evento organizado pelo Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo.

A candidata pelo União Brasil defendeu o uso da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), no caso a TV Brasil, como ferramenta de educação. Ela disse que o uso do veículo público poderia ter ajudado a amenizar os problemas causados pela pandemia aos estudantes brasileiros, em especial os que não têm acesso à internet, para assistirem aulas a distância.

“A exemplo do que foi feito [com os veículos de mídia pública] em outros países, como Portugal, a EBC poderia ter sido utilizada para dar aulas aos brasileiros”, defendeu Soraya.

Sobre os planos para a área econômica, Soraya reiterou que, dos tributos federais, só manterá aqueles que incidem sobre importação, exportação e sobre o imposto de renda, que, segundo ela, “deixará de ser cobrado de professores e de pessoas que recebam até cinco salários mínimos”.

Dirigindo-se aos engenheiros presentes no evento, disse ser favorável a uma lei de licitações similar à aplicada em outros países, que incluem, no edital, um seguro que garanta a entrega da obra no tempo contratado.

Ela também afirmou que pretende utilizar, de forma emergencial, vagas da rede particular de ensino do país para trazer de volta os alunos que se afastaram das escolas após a pandemia. De acordo com a candidata, são cerca de 240 mil crianças nessa situação atualmente no país. “A iniciativa privada já presta o serviço no campo privado. Muitos têm vagas que podem ser preenchidas com crianças da rede pública. [Ao poder público basta] apenas pagar. O que pode ser feito é negociar preço, mas eles podem, sim, ajudar a diminuir o déficit de crianças que estão fora da escola”, disse em entrevista após participar de encontro com representantes do Movimento Agenda 227 e receber o Plano País da Infância e a Adolescência.

Fonte: Agência Brasil

Notícia vista 1758 vezes


Compartilhe com seus amigos:
 




www.correiopopular.com.br
é uma publicação pertencente à EMPRESA JORNALÍSTICA CP DE RONDÔNIA LTDA
2016 - Todos os direitos reservados
Contatos: redacao@correiopopular.net - comercial@correiopopular.com.br - cpredacao@uol.com.br
Telefone: 69-3421-6853.